O que movia a Jesus em todas as circunstâncias não era senão a misericórdia, com a qual lia o coração dos interlocutores e respondia às suas necessidades mais reais. (M V N° 8).

Nas parábolas dedicadas à misericórdia, Jesus revela a natureza de Deus como a de um Pai que jamais se dá por vencido até que não tenha dissolvido o pecado e suplantada a recusa com a compaixão e a misericórdia.

A misericórdia se mostra como a força que tudo vence, que enche de amor o coração e que consola com o perdão. (M V N° 9).

 

ORAÇÃO DO ANO DA MISERICÓRDIA

Jesus Cristo, tu nos ensinaste a ser misericordiosos como o Pai do céu

e nos disseste que quem te vê, vê também o Pai.

Mostra-nos teu rosto e alcançaremos a salvação.

Faze que cada um de nós escute como própria a palavra que disseste à samaritana:

Se conhecesses o dom de Deus!

Tu és o rosto visível do Pai invisível,

do Deus que manifesta sua onipotência,

sobretudo com o perdão e a misericórdia:

faze que, no mundo, a Igreja seja o rosto visível de Ti,

Senhor, ressuscitado e glorioso.

Manda teu Espírito e consagra-nos a todos com sua unção

para que o Jubileu da Misericórdia seja um ano de graça do Senhor,

e tua Igreja possa, com renovado entusiasmo,

levar a Boa Notícia aos pobres,

proclamar a liberdade aos prisioneiros e oprimidos

e restituir a vista aos cegos.

Ao recordar o Venerável Irmão Gabriel,

concede-nos por sua intercessão a graça

que hoje te pedimos com fé.

(Indicar a graça ou as graças e as pessoas pelas quais se quer rezar.)

Isto pedimos Pai, por Jesus Cristo, nosso Senhor. Amém.