A misericórdia de Deus não é uma ideia abstrata, mas uma realidade concreta com a qual Ele revela seu amor, que é como o de um pai ou de uma mãe que se comovem no mais profundo de suas entranhas pelo próprio filho. Vale dizer que se trata realmente de um amor “visceral”. Provém do mais íntimo como um sentimento profundo, natural, feito de ternura e compaixão, de indulgência e de perdão. (M V N ° 6)

ORAÇÃO DO ANO DA MISERICÓRDIA

Jesus Cristo, tu nos ensinaste a ser misericordiosos como o Pai do céu

e nos disseste que quem te vê, vê também o Pai.

Mostra-nos teu rosto e alcançaremos a salvação.

Faze que cada um de nós escute como própria a palavra que disseste à samaritana:

Se conhecesses o dom de Deus!

Tu és o rosto visível do Pai invisível,

do Deus que manifesta sua onipotência,

sobretudo com o perdão e a misericórdia:

faze que, no mundo, a Igreja seja o rosto visível de Ti,

Senhor, ressuscitado e glorioso.

Manda teu Espírito e consagra-nos a todos com sua unção

para que o Jubileu da Misericórdia seja um ano de graça do Senhor,

e tua Igreja possa, com renovado entusiasmo,

levar a Boa Notícia aos pobres,

proclamar a liberdade aos prisioneiros e oprimidos

e restituir a vista aos cegos.

Ao recordar o Venerável Irmão Gabriel,

concede-nos por sua intercessão a graça

que hoje te pedimos com fé.

(Indicar a graça ou as graças e as pessoas pelas quais se quer rezar.)

Isto pedimos Pai, por Jesus Cristo, nosso Senhor. Amém.