A oração desta novena realizaremos, no auge do tempo da Páscoa, memorial da Vida Nova a que todos somos chamados, pedindo logo a vinda do Espírito Santo, doador dessa Vida Nova, e enviados pelo Ressuscitado para anunciar essa Vida Nova ao mundo inteiro. São tempos litúrgicos fortes, vividos em tempos históricos não menos fortes, mas sob a aparência de morte, isolamento e colapso econômico e social. Nós pedimos ao Irmão Gabriel que nos ajude a rezar nestes tempos, lembrando suas palavras, sua vida e sua paixão colocadas a serviço da Vida Nova que Jesus, o Cristo, nos oferece para que o Reino continue mostrando os sinais de sua presença na história.

 

Os textos são cartas ou partes de cartas escritas pelo Irmão Gabriel ou pelo Irmão Amadeu.

 

Para o dia 16 de maio

09-09-1855

Ao doutor Boroz, prefeito de Belley (Ain).

Senhor Prefeito,

Como o cólera parece ameaçar nossa cidade, embora o objetivo de nossa sociedade seja principalmente a educação, venho, Sr. Prefeito, colocar nossos Irmãos à sua disposição para cuidar dos doentes, caso as necessidades exijam os nossos serviços.

Aceite, pois, esta minha oferta, como expressão dos sentimentos muito respeitosos com os quais tenho a honra de ser, Sr. Prefeito, seu servo muito humilde e dedicado.

Superior Geral dos Irmãos da Sagrada Família – Irmão Gabriel.

 

Oração (para todos os dias)

Deus, nosso Pai, que pela ação de teu Espírito ressuscitaste Jesus dentre os mortos, nós te pedimos que, seguindo o Venerável Irmão Gabriel, sejamos os missionários desta Nova Vida no meio do mundo. Mundo que neste tempo também é atingido por uma peste que nos confronta com a morte, o isolamento e a pobreza de milhões de nossos irmãos e irmãs. Que possamos, com toda a família Sa-Fa, viver e compartilhar a alegria do Evangelho.

Nós te pedimos ó Pai, a glorificação de teu Servo, o Venerável Irmão Gabriel Taborin, concedendo-nos, por sua intercessão, a graça que vos pedimos… (Podemos mencionar as pessoas pelas quais desejamos rezar). Isso te pedimos insistentemente pelos méritos de nosso Senhor Jesus Cristo. Amém.

 

Para o dia 17 de maio

30-12-1854

Para Mons. Irénée Depéry, bispo de Gap (Altos Alpes).

Monsenhor,

… A presença da epidemia do cólera em sua cidade episcopal deve ter-lhe provocado inquietação, pois o coração de um bispo, como o de Sua Excelência, se preocupa naturalmente ante os flagelos que ameaçam seu povo. Nós o acompanhamos com nossos votos e orações em sua viagem à Cidade Santa, como eu lhe comuniquei na carta que tive a honra de lhe enviar antes de sua partida, mas redobramos nossas orações quando soubemos que o cólera chegado a Gap. Eu tive um medo grande de que a epidemia atravessasse o portal do Palácio Episcopal e atacasse seus felizes habitantes e especialmente seu digno chefe. Mas, graças a Deus foi preservada. A Virgem Imaculada, a que vai coroar solenemente, não permitiu que o Prelado mais devoto de seu culto fosse contagiado. E isso salvou rios de lágrimas para seus diocesanos e muitos amigos.

Irmão Gabriel

 

 

Para o dia 18 de maio

05-09-1855

Para Mons. Cretin, Bispo de Saint Paul, Minnesota – EUA.

… Dom Chalandon, nosso amado bispo, pediu-me para lhe externar sua saudação. Ele pregou vários retiros pastorais. O de Bourg começará na próxima semana. Não há nada novo em nossas terras que mereça a atenção de Sua Excelência. O cólera apareceu pela primeira vez em Seyssel-França, onde causou estragos. Já temos alguns casos dessa epidemia em Belley; hoje três pessoas foram enterradas. Isso me preocupa por causa de nosso retiro que começará no dia 16 do corrente. Ele será animado por um Padre da Misericórdia de Paris, o mesmo que animará o retiro dos eclesiásticos em Bourg…

Irmão Gabriel

 

 

Para o dia 19 de maio

07-09-1855

Ao Exmo. Irmão Cirilo, Diretor do Estabelecimento dos Irmãos da Sagrada Família em Saint Paul, Minnesota, Estados Unidos da América.

Meu querido Irmão Cirilo,

… O cólera está neste país e causou desastres em Seyssel-França. Em dez dias matou cerca de sessenta pessoas. Em Belley, tivemos três mortes ontem e quatro hoje; isso me deixa um pouco preocupado com o retiro. Se eu sucumbisse, em consequência desse flagelo, saibam que, antes de morrer, lhes recomenda a perseverança de todos em sua vocação, que vivam unidos e como bons religiosos se mantenham constantemente em estado de graça e humildade. Finalmente, seja o que Deus quiser, mas não me esqueçam em vossas orações, nem aos demais Irmãos que rezam por vocês e eu em particular.

Irmão Gabriel.

 

 

Para o dia 20 de maio

09-09-1855

À senhora Veuve Roussel, Hospício da Maternidade, em Clermont-Ferrand (Puy-de-Dôme).

Senhora.

… Alegremo-nos, pois seu filho realmente tem disposições manifestas para a vida religiosa. Vendo-o tão bem disposto, creio poder responder a seus desejos, admitindo-o a vestir o hábito e fazer os primeiros votos.

Esta cerimônia acontecerá no sábado dia 22 do corrente mês, às 8 horas da manhã; se você pudesse vir, e ficarei muito feliz em vê-la. No entanto, não posso lhe ocultar e deixar de dizer que o cólera está em Belley, que já começou a exercer sua devastação. Em Seyssel, perto de Belley, ela já vitimou 80 pessoas em mais ou menos uma semana e isso me inquieta muito por causa de nosso retiro. Reze para que esse flagelo não perturbe enquanto a maioria de nossos Irmãos estiver reunido aqui.

A sua carta deixou Pierre muito feliz e lhe agradece sinceramente e a abraça.

Receba, senhora, minhas afetuosas saudações.

Irmão Gabriel.

 

 

Para o dia 21 de maio

16-09-1855

À Reverenda Irmã Arnoux, Orfanato de Beaune (Côte-d´Or)

Reverenda Madre,

… Cheio de tarefas, especialmente agora que os Irmãos chegam, não posso me ausentar por um momento para explicar rapidamente as tramas que envolvem o tema desta dolorosa carta que gostaria de todo o coração não ter que lhe escrever. Este pobre Irmão não tem humildade. Ele não pediu perdão nem expressou arrependimento, o que mostra claramente suas intenções.

Por favor, recomende o êxito de nosso retiro a sua comunidade e rezes também para que o cólera não venha a causar estragos em nossa casa.

Sou, com respeito, seu servo muito humilde.

Irmão Gabriel

 

 

Para o dia 22 de maio

19-09-1855

Para Mons. Billiet, arcebispo de Chambéry (Saboia).

Sr. bispo,

… Eu gostaria de acompanhar este Irmão, mas isso é impossível para mim, pois nestes dias todos os meus momentos são tomados de reuniões. Com dificuldades consegui me esquivar por um momento para traçar essas poucas linhas e, mesmo assim, me encontro na cama. E em primeiro momento pensei que podia ter sofrido um ataque de cólera.

Estamos felizes com o Irmão Menet e me atrevo a acreditar, monsenhor, que nossa Sociedade um dia terá nele um bom sacerdote, e que não terá que se arrepender de ter conferido a ele as ordens sagradas. Mostro-lhe, monsenhor, toda a minha gratidão por esse ato de bondade.

Espero que o retiro produza neste ano, entre os nossos Irmãos, grandes frutos de salvação, porque eles seguem os exercícios com extraordinário recolhimento. Atribuo isso à bondade divina e aos nossos dois grandes pregadores, padre Molliard, religiosos da Misericórdia de Paris. O cólera que já fez vítimas nesta cidade, graças a Deus ainda não entrou fisicamente no Noviciado.

Irmão Gabriel.

 

 

Para o dia 23 de maio

20-09-1855

Ao Sr. Béraud, Cura d’Blanzy (Saône-et-Loire).

Senhor Cura,

Nosso Reverendo Ir. Superior não pode responder à sua carta, sobrecarregado pela fadiga e pelo cólera. É minha responsabilidade escrever-lhe e dizer que ele ficaria feliz em vê-lo chegar a Belley, embora ele mesmo pretenda acompanhar os próprios Irmãos a Saint-Vallier.

O Senhor manifesta o desejo de que os Irmãos não cheguem a seu posto de trabalho antes de 11 de novembro. Ficaríamos muito chateados se tivéssemos que esperar até aquele momento. Nosso Superior gostaria muito de acompanhá-los no dia 10 do próximo mês, Não poderia ser? Ele também pergunta se o Sr. já assegurou que os 3 Irmãos de Saint-Vallier e os 2 de Sanvignes terão o salário necessário. Ele ainda deseja que o Senhor lhe diga positivamente se o Irmão Humberto deve ou não retornar a Blanzy e se ele pode continuar a ter o título de professor.

Aceite a expressão dos sentimentos muito respeitosos com os quais tenho a honra de ser, Senhor Cura, seu servo muito humilde e dedicado.

Irmão Amadeu, Vice-Superior.

 

 

Para o dia 24 de maio

21-09-1855

Ao Sr. Berrod, Cura de Dortan (Ain).

Senhor Cura,

Nosso Reverendo Ir. Superior não pode responder a sua carta, pois ele está muito cansado. O cólera o manteve em cama por dois dias, mas agora já está melhorar.

Ele me pede para lhe responder e dizer que, para atender a seu pedido, procurará não enviar o Irmão Arsênio, e acredita que pode encontrar uma outra maneira de fazer essa mudança.

Senhor Cura, é impossível que os nossos Irmãos cheguem no sábado, ou seja, amanhã, pois é justamente amanhã que se encerra o retiro, que será seguido ainda pela festa da Sagrada Família. Eles não terão condições de deixar Belley antes de terça-feira…

Irmão Amadeu, Vice-Superior.