Poder-se-ia pensar que damos glória a Deus só com o culto e a oração, ou apenas observando algumas normas éticas (é verdade que o primado pertence à relação com Deus), mas esquecemos que o critério de avaliação da nossa vida é, antes de mais nada, o que fizemos pelos outros. A oração é preciosa, se alimenta uma doação diária de amor. O nosso culto agrada a Deus, quando levamos lá os propósitos de viver com generosidade e quando deixamos que o dom lá recebido se manifeste na dedicação aos irmãos. A força do testemunho dos santos consiste em viver as bem-aventuranças e a regra de comportamento do juízo final. São poucas palavras, simples, mas práticas e válidas para todos, porque o cristianismo está feito principalmente para ser praticado e, se é também objeto de reflexão, isso só tem valor quando nos ajuda a viver o Evangelho na vida diária. (GE 104 – 109)

Oração ao Venerável
Irmão Gabriel Taborin

Ó Senhor,
que cumulastes o coração do Irmão Gabriel Taborin,
de fé viva e zelo ardente,
para educar cristãmente a juventude e ajudar aos sacerdotes.
Fazei que seguindo o seu exemplo,
procuremos sempre a vossa glória.
E, se tal é o vosso beneplácito,
glorificai a vosso servo,
Concedendo-nos pela sua intercessão, a graça que solicitamos: (…).

Nós vos pedimos esta graça
pelo mérito de Nosso Senhor Jesus Cristo, Amém.