Ao chegar a plenitude dos tempos, Deus enviou a seu Filho, nascido de uma mulher, para que recebêssemos a adoção de filhos” (Gal. 4.4-5).

 

Estimados Irmãos, membros das Fraternidades Nazarenas, Aspirantes a Irmãos, Comunidades Educativas, Comunidades cristãs, Catequistas e amigos da Família Sa-Fa:

Começo minha mensagem de Natal com esta citação da carta de São Paulo aos Gálatas que ouviremos com frequência nestes dias na liturgia natalina e que sintetiza o mistério do Natal. As palavras do apóstolo Paulo resumem toda a teologia do nascimento de Jesus e afirmam nossa condição de filhos de Deus. Uma vez mais esta Carta aos Gálatas põe em destaque como Deus, através das pessoas, atua na história e na vida dos homens e, nesta ocasião, com a colaboração crente da Virgem Maria e a presença de São José.

Por isso mesmo, nesta saudação convido-vos a entrar no mistério do Natal da mão dos pais do Menino Jesus porque com seus respectivos sins facilitaram que “a Palavra de Deus acampasse entre nós”. Mas entrar da mão de Maria e de José no Natal nos obriga a situar-nos nos marcos simbólicos de Belém e Nazaré, contextos naturais do mistério da Encarnação pelos quais Jesus se faz presente nas realidades concretas de nosso mundo.

Dizer Belém e Nazaré equivale a dar valor ao cotidiano, ao pequeno, ao simples, ao silêncio e ao anonimato. Isso significa saber descobrir o valor redentor de uma vida simples com suas penas, trabalhos e alegrias.  Na tradição Sa-Fa repetimos com frequência o convite a encontrar no mistério da Encarnação “a sabedoria que nos guia na vida”, uma excelente máxima para meditar, celebrar e viver no Natal deste ano.

O caminho desta sabedoria exige praticar o silêncio interior para estar em sintonia com o Senhor; facilitar que o Menino-Deus se encarne em nossa maneira de pensar e fazer; deixar-nos interrogar por sua Palavra para saber solucionar nossos projetos pessoais; aceitar decididamente nossa disponibilidade para a missão;  confiar que Deus não nos deixará sós e em possuir a valentia necessária para aceitar o Plano de Deus em nossas vidas. Recorrer os passos de dita sabedoria é uma manifestação clara de nosso carisma nazareno para saber estar no mundo, compreendê-lo, querê-lo e fazer realidade nossa fé.

Viver com esta sabedoria, especialmente no tempo do Natal, é também uma boa oportunidade para fortalecer nossos vínculos familiares, renovar nosso amor mútuo e assumir as alegrias e contratempos que a vida nos apresenta. Cuidemos uns dos outros para chegar a ser, especialmente nestes dias, sinais de ternura e atenção natalina em nossas famílias, comunidades e lugares de trabalho.

Nossa missão de educadores e catequistas nos põe em relação com muitos jovens e suas famílias. A todos eles tenhamo-los presentes neste Natal e confiemos ao Menino-Deus todas as suas esperanças, alegrias e preocupações. Meditemos nestes dias no mistério do nascimento de Jesus, nos sins de Maria e de José; na alegria dos pastores junto ao presépio, na adoração dos Magos; na fuga ao Egito e na promessa cumprida para Simeão e Ana no templo… Este é o mistério do Natal e a sabedoria de Nazaré!

No domingo, dentro da oitava do Natal, celebraremos a festa da Sagrada Família, um momento importante para pedir, por sua mediação, o bem-estar humano e espiritual de todas as nossas famílias. Igualmente recordemos a Família Sa-Fa para que seja uma instituição de acolhida de cada um de seus membros; para que seja sinal de esperança para transmitir o sentido da vida; para que seja capaz de dizer sim a Deus mesmo sem conhecer de tudo as exigências; para que esteja preocupada por transmitir o Evangelho de Jesus; para que esteja atenta ao sofrimento humano e para que possamos cantar nosso Magnificat pois o Senhor vai fazendo grandes coisas apesar de nossa pequenez.

O ciclo de Natal termina com a festa do Batismo do Senhor, já em pleno mês de janeiro, mês dedicado à Sagrada Família e tempo para seguir contemplando o mistério da Encarnação e para viver o “espírito de família” que Jesus, Maria e José praticaram em sua vida cotidiana de trabalho, amor e oração.

Também, de 22 a 27 de janeiro de 2019, será realizada, no Panamá, a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) que – como em outras ocasiões – congregará a milhares de jovens dos diversos continentes num ambiente festivo, orante e celebrativo. Ofereçamos nossa oração pelos frutos desse encontro e pela adequada preparação espiritual dos que nele participarão.

Com o olhar na Sagrada Família recordemos a semente que o Natal vai fazendo na simplicidade, na disponibilidade e no serviço da vida cotidiana.

Feliz Natal e próspero Ano Novo.

Roma, 5 de dezembro de 2018.

            Ir. Juan Andrés Martos Moro SG