f 6

“Todos somos Irmãos” é o lema que reuniu na tarde do sábado, 24 de outubro, na Casa Geral dos Irmãos das Escolas Cristãs, Via Aurélia 476, de Roma, a 133 religiosos Irmãos de 21 Congregações masculinas.
Por motivo do Ano da Vida Consagrada, as Congregações de Irmãos, dedicadas principalmente ao ensino, à saúde e às missões quiseram encontrar-se para celebrar a vocação de Irmão.
Este encontro foi acompanhado pela Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica, na pessoa do Subsecretário P. Sebastiano Pacciolla e da União de Superiores Gerais através de seu Secretario Geral Pe. David Glenday, que dirigiram calorosa saudação aos participantes.
O fio condutor do encontro recordou os objetivos que guiam a celebração deste Ano da Vida Consagrada: “Olhar o passado com gratidão, viver o presente com paixão e abraçar o futuro com esperança”.
Juntos partilharam momentos em torno das vivências próprias desta vocação. Um vídeo preparado para a ocasião ofereceu imagens de muitas atividades que os Irmãos nos diferentes países e culturas realizam. Teve especial resonância, de uma parte o agradecimento pela vocação a viver o evangelho desde a fraternidade e de outra as palavras do Papa para este Ano “despertai o mundo”, acolhidas como um desafio que interpela a sua vida neste momento.
Juntos celebraram em torno dos restos mortais de São João Batista de La Salle, presentes na bela igreja da casa que os acolhia, que a fraternidade, a entrega de cada pessoa, como consequência do amor recebido de Deus e do seguimento de Cristo, é uma boa notícia num mundo que necessita destes valores para manter a esperança.
O Encontro sublinhou a vocação de Irmão como uma vocação atual. Nele resoavam os ecos da recente entrega aos Irmãos de São João de Deus do Prêmio Princesa de Astúrias da Concórdia, máximo prêmio nacional de Espanha em valores humanitários. Este Prêmio foi concedido especialmente por seu exemplar trabalho assistencial na luta contra o ebola, em que perderam a vida 18 Irmãos e colaboradores, e a atenção aos refugiados nestes momentos.
Se a vocação de Irmão se viu reduzida quanto ao número total de membros, contudo está mais estendida no panorama mundial e segue sendo necessária como memória de igualdade e de serviço num mundo dividido, desigual e com tantas pessoas necessitadas.
O ambiente reinante foi de alegria, uma alegria nascida da fraternidade, assim se viveu cada momento do encontro. Neste sentido se fizeram realidade as palavras: “Onde estão os consagrados, há sempre alegria” da Carta “Alegrai-vos” do Papa Francisco.

f 1Lbk2lk0QoLSdX7MgMKxLlx_XJwI6c9jg-iK3RP_MWX8f 2f 3f 4f 5f 6PvUZQ853ySxF59_8QcUv-qxO6V2H8tIHakhIWY2rHY4