Depois de perder meu pai em 2 de junho de 2020, embora não para a COVID, estes são momentos dolorosos que você não quer reviver novamente. Nunca esquecerei que no dia anterior ao seu falecimento só pude passar 5 minutos com ele por causa dos regulamentos da COVID, apesar de ele não os ter.
Para minha irmã e eu, a maior preocupação é o bem estar de minha mãe, por isso, desde 11 de janeiro meus pais vivem com minha irmã. Minha mãe sofre de Parkinson em um estágio muito avançado. Mas chegou o momento em que não quisemos: reconhecendo que entre nós dois não podíamos dar a ela a qualidade de vida de que ela precisava e tivemos que pedir um lugar na Residência Santa Teresa de Jornet, onde ela entrou no dia 30 de agosto.
O mês de dezembro foi muito difícil, e era hora de pedir orações à comunidade. Tanto eu quanto minha irmã rezamos pela saúde de nossa mãe através do irmão Gabriel Taborin. A comunidade dos Irmãos em Burgos se uniu a esta oração.
O que aconteceu com minha mãe é um fato inexplicável, porque os médicos dificultaram muito as coisas para nós. Ela se recuperou, mas a COVID-19 a fez perder muito, ou seja, sua doença avançou muito mais do que o esperado. Mas o importante é que ela está entre nós.
Agradeço a Deus pela presença de minha mãe, e ainda mais depois do que ela viveu.
H. Emilio Gutiérrez
Burgos, 13 de março de 2021