Vida do Irmão Gabriel

Os principais momentos da vida do Ir. Gabriel são estes:

Período de Belleydoux (1799-1824). Gabriel nasce em Belleydoux em 1799 de una família cristã que o marcou profundamente. Durante seus anos de formação assume o despertar dos leigos que se produz como consequência da Revolução Francesa. Desde muito pequeno inicia uma série de atividades de animação em sua paróquia natal. Passa dos jogos infantis de caráter religioso a um período de progressiva responsabilização. Exerce as funções de cantor, sacristão, catequista, professor da escola em seu povoado. Nesse contexto, o jovem Gabriel descobre muito cedo o chamado de Deus à vida religiosa. Para responder a esse chamado busca uma comunidade religiosa e, ao não encontrar uma que corresponda a seus desejos, as circunstâncias o levam a fundar ele mesmo outra.

Período de vida itinerante (1824-1829). Em diferentes lugares das dioceses de Saint-Claude e depois em Belley, continua a «longa experiência» de Belleydoux colocando-se a disposição dos párocos como professor e catequista; tenta «ensinar a outros» essas mesmas atividades. A primeira forma concreta que ele dá a sua vocação religiosa laical é a de Irmãos de São José.

Período de Belmont (1829-1840). Depois de superar numerosas dificuldades, funda o Instituto dos Irmãos da Sagrada Família. O Irmão Gabriel pode finalmente encarnar seu projeto: traça a identidade do Irmão na Guia, regra de vida e de ação, aprovada pelo bispo Mons. Devie, forma grupos de postulantes e noviços e envia os primeiros Irmãos como sacristães à catedral de Belley e como professores a várias escolas.

Período de Belley (1840-1864). Chega a essa cidade, sede da diocese, com uma numerosa comunidade. O Irmão Gabriel se consagra até o final de seus dias a formar seus Irmãos e consolidar a Congregação. Obtém a aprovação do Instituto por parte do Papa Gregório XVI e de Carlos Alberto, Rei da Sardenha. Visita com frequência as escolas e paróquias onde os Irmãos trabalham. Escreve alguns livros destinados às crianças e jovens e às famílias, nos quais une a promoção cultural e a evangelização. Reúne os Irmãos anualmente para fomentar o espírito de família e para cuidar de sua formação pedagógica, humana e espiritual. Ocupa-se pessoalmente das novas fundações e da construção da Casa Mãe. Mesmo conservando a saudade da vida contemplativa, que somente realiza no mosteiro de Tamié, anima a atividade dos Irmãos a serviço da educação cristã nas paróquias pobres do campo e da animação litúrgica nas igrejas de algumas grandes cidades, aberto a «toda classe de boas obras». Impulsionado pelo espírito missionário, envia um grupo de quatro Irmãos aos Estados Unidos. Busca para seu Instituto o apoio de pessoas e instituições e encontra, no meio de muitas incompreensões e oposições, aqueles que estimam e acolhem sua obra, como São João Maria Vianney, o cura de Ars, em quem encontrou uma amizade e apoio importante.

A vida do Irmão Gabriel está profundamente marcada pela cruz: paga em sua pessoa de «religioso Irmão» o preço de uma oposição de vida que constitui um chamado a uma maior fraternidade tanto para a Igreja quanto para o mundo.

 

Frères de la Sainte-Famille de Belley - Institut Religieux Catholique de Droit Pontifical - Casa di Procura Generalizia.
Email : fsfbelley@gmail.com